Governo implanta Comando de Policiamento de Choque e cria 6º Batalhão em Uruguaiana

#PortalEstáEmTudo



O governo do Estado apresentou, em transmissão ao vivo na manhã desta quarta-feira (23/12), a estratégia para lotação dos 860 policiais militares formados no início da semana e a criação do 6º Batalhão de Polícia de Choque (6º BP Choque), que ficará sob coordenação do novo Comando de Policiamento e Choque (CP Choque) junto com os outros cinco batalhões existentes.


Assim como em julho de 2019, quando 2 mil soldados ingressaram na BM, a instituição e a Secretaria da Segurança Pública (SSP) estabeleceram critérios objetivos para distribuir o novo reforço de 860 PMs de acordo com as premissas de inteligência e investimento qualificado do RS Seguro.


“Toda a estratégia de emprego e de reposição programada dos nossos efetivos só é possível porque o Estado está a caminho do equilíbrio fiscal, com todas as reformas que ajudam a reduzir as despesas e que garantem as receitas para que o governo consiga investir, incluindo novos servidores. Por isso, foi tão importante a aprovação de ontem (22/12) na Assembleia, que vai reduzir de forma segura e responsável os impostos sem colapsar as receitas do Estado e viabilizar o chamamento nos próximos dois anos de quase 3,2 mil novos servidores para a segurança pública”, destacou o governador Eduardo Leite.


Ao longo deste ano, o governo do Estado deu continuidade ao cronograma apresentado em novembro de 2019. Em 2020, foram formados 1.367 operadores das vinculadas à SSP – 55 delegados e 257 inspetores e escrivães da Polícia Civil, 901 soldados da Brigada Militar, 70 profissionais do Instituto-Geral de Perícias (peritos criminais, peritos médicos-legistas e técnicos em perícia) e 84 soldados do Corpo de Bombeiros Militar (CBMRS).



Durante a transmissão, o governador confirmou a previsão de chamar nos próximos dois anos mais 3.187 novos servidores para os efetivos das secretarias da Segurança Pública e da Administração Penitenciária.


“A manutenção da força policial, com chamamento programado, evita precarização de serviços e os chamamentos em massa, além de garantir qualificação do efetivo, o que é fundamental para que a gente possa manter a redução nos índices de criminalidade”, disse o governador.


Conforme a estratégia apresentada pelo comandante-geral da Brigada Militar, coronel Rodrigo Mohr Picon, além dos 23 municípios selecionados pelo RS Seguro para o foco territorial de combate ao crime, a distribuição dos 860 novos PMs dará prioridade à reposição nas cidades menos guarnecidas, assegurando efetivo mínimo de cinco policiais em todos os 497 municípios do Estado. Além disso, foram priorizadas as unidades e serviços com maior impacto regionalizado, para expandir a cobertura do reforço. Dessa forma, serão destinados novos soldados para incrementar a ação do Comando Rodoviário (CRBM) e do Comando Ambiental (CABM), e para a criação do 6º BP Choque.


“Se fôssemos distribuir sem estratégia, estaríamos mandando 1,6, ou seja, menos de dois brigadianos para cada um dos 497 municípios do Estado. Mas isso não seria estratégico e não ajudaria nos resultados que já estamos colhendo. Como temos feito, os novos soldados irão para os locais onde mais são necessários, além de nos permitir abrir novos batalhões, como o 6º BP Choque”, esclareceu o vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior. Esta é a terceira unidade da área criada pelo atual governo. Antes, já havia BP Choques em Porto Alegre (1º), Santa Maria (2º) e Passo Fundo (3º). Agora, existem também em Caxias do Sul (4º) e Pelotas (5º).


Força especial em todo o RS


A nova unidade, que terá sede em Uruguaiana, vai qualificar a estratégia de pronta-resposta, com cobertura do policiamento de choque em toda a faixa da fronteira do Rio Grande do Sul com o Uruguai e a Argentina. A nova estrutura irá auxiliar na intensificação de operações policiais especializadas para o combate às organizações criminosas que operam de forma transnacional, em atividades ilegais como tráfico de drogas e contrabando de armamento e mercadorias. Também irá representar um reforço importante para a repressão de crimes rurais típicos da região, como o abigeato e o furto de maquinários e insumos agrícolas.


A posição do 6º Batalhão de Choque também fortalece a capilaridade da atuação das tropas de pronto-emprego, com alto nível de treinamento para execução de tarefas de restauração da ordem pública, controle de distúrbios e, principalmente, ocorrências de grande proporção.

Com a nova unidade, as operações das seis tropas especializadas poderão cobrir todas as áreas do Estado com maior agilidade e mais eficácia – a estimativa é conseguir realizar deslocamentos para qualquer ponto no RS em até uma hora e meia, aproximadamente.


O trabalho também ganha em qualidade a partir da criação do Comando de Policiamento de Choque, que vai unificar e padronizar o emprego, o treinamento e as ações das seis unidades, o que resulta no fortalecimento de todo o sistema operacional de pronta resposta e repressão qualificada ao crime organizado, além de melhoria nas atividades de apoio às tropas de policiamento ostensivo e forças táticas – a criação do CP Choque não afetará o auxílio prestado aos Comandos Regionais aos quais os BP atualmente estão vinculados.


“Com isso, ao invés de ligar para seis comandantes, vai bastar ligar para apenas um, o comandante do CP Choque, que ele vai organizar todo o efetivo e estabelecer a estratégia de operação. Lembrando que se trata de uma tropa especializada, com treinamento diferenciado e que terá um único meio de atuação, padronizado, para ações especiais e crimes mais graves. E muito importante: com pronto-emprego, resposta imediata”, destacou o coronel Mohr.


Outras vantagens com a implantação do CP Choque passam pela centralização na gestão do trabalho preventivo e de repressão a ações criminosas de grande proporção, a partir do trabalho de inteligência integrado, além da unicidade na aplicação de doutrina e formação continuada do efetivo. A coordenação por um comando central também permitirá otimizar as atividades logísticas e administrativas dessa tropa especializada.


"Uma das notícias mais importantes e positivas de 2020, para a Fronteira Oeste, em especial para Uruguaiana. Com esse anúncio do governador Leite, teremos um aumento significativo do efetivo da Brigada Militar. Ao todo serão cerca de 140 policiais lotados no Batalhão de Choque de Uruguaiana, que também atenderão a região”, comemorou o deputado Frederico Antunes, líder do governo na Assembleia e natural da Fronteira Oeste.







Texto: Carlos Ismael Moreira/Ascom SSP e Vanessa Kannenberg Edição: Patrícia Specht/ Secom