Diretor clínico do HCC sugere ampliação da testagem da população

#PortalEstáEmTudo


Felipe Piva destaca que quanto antes o diagnóstico for feito e o paciente colocado em isolamento melhor evita-se o chamado efeito cascata.


Em entrevista ao programa Agenda de Notícias da Rádio Diário AM 780, na manhã desta segunda-feira (17), o diretor clínico do Hospital de Caridade de Carazinho (HCC), Felipe Piva, sugeriu que o Município compre testes rápidos para fazer a testagem em massa da população. Também em entrevista ao programa, o prefeito Milton Schmitz confirmou que a Secretaria Municipal de Saúde discute o assunto e tentará viabilizar se houver disponibilidade de material.


Piva sugeriu a compra dos chamados testes do cotonete e citou que a intenção é isolar o quanto antes as pessoas que estiverem com o vírus, a fim de evitar o efeito cascata. O médico comentou que este tipo de exame pode ser feito a partir do segundo dia de sintomas.


Sobre a nota emitida no domingo (17) pelo Hospital de Caridade de Carazinho – HCC, Piva declarou que a superlotação tem levado a equipe ao esgotamento e revelou dificuldades em conseguir transferência de pacientes.


“O problema é que estamos com muitos pacientes graves. A gente só tem 13 leitos de UTI, na verdade são 9 credenciados, mas o hospital colocou mais 4, e hoje são 18 pessoas em UTI”, atualizou o médico sobre a condição na manhã desta segunda-feira (17).


O médico também confirmou que seis pacientes estão na emergência do HCC aguardando transferências e que ontem (16), apesar de todos os contatos apenas, um, por meio de ordem judicial foi transferido.


De acordo com Piva, ao que se sabe os hospitais de Passo-Fundo, Palmeira das Missões, Ijuí e Erechim também registram uma alta taxa de ocupação de pacientes Covid-19.


“No Hospital chegamos ao nosso limite. Está todo mundo cansado indo fazer hora extra. Entre os médicos não há egos, há médicos indo trabalhar de graça pois nós só temos um médico remunerado na ala Covid, mas ontem (16), estávamos em 4 para atender a toda a demanda.


Carazinho não comporta mais pacientes, pois a gente não tem mais recursos humanos para suprir esta necessidade, só se forem contratados mais enfermeiros, mais técnicos, mas daqui a pouco vai começar acontecer que aumenta a demanda e o consumo de medicamentos, e isto a gente já sabe que nos últimos dias esta faltando. Vamos suspendendo as cirurgias e focando no tratamento ao Covid”, cita o diretor clinico do Hospital.


Piva destacou que nas últimas semanas as internações em sua maioria passaram a ser de pacientes com menos de 60 anos de idade, com condições mais graves e apresentando evolução maior. Piva explicou que embora o tempo de internação varie para cada paciente, na média as internações em UTI levam no mínimo 15 dias. Já o tempo de internação em leito clínico tem variado de 7 a 10 dias.


Nesta segunda-feira (17), devem chegar a Carazinho seis respiradores que serão emprestados ao HCC, mas o diretor clínico revela que ainda deverá ser discutido, como assistir a mais pacientes.


“É o que teremos de ver. Não temos profissionais para atender, temos quase 20 pacientes intubados, e não temos profissionais para atender todos. Por certo, seria 1 médico para 10 pacientes, e estamos com 1 médico para todos os pacientes da Covid-19. Temos os plantonistas, mas que atendem na tenda e as intercorrências do hospital. Estamos conversando com o prefeito, com a secretária, estamos todos juntos nesta, mas não é um problema só de Carazinho.


No momento é preciso consciência das pessoas para diminuir os casos, o HCC não suporta mais”, citou Piva.


O médico disse que havendo recursos financeiros disponíveis se buscará no próprio corpo clínico do Hospital, se há entre os médicos a disponibilidade de deixarem de atender em seus consultórios para atender no Hospital, mas ainda assim será preciso contratar técnicos e enfermeiros.


Sobre a suspensão das aulas, o profissional opinou que particularmente entende que o retorno às atividades presenciais deve ocorrer após a imunização dos educadores, e confirmou que na última semana atendeu a pelo menos cinco professores das redes estadual e municipal com coronavírus. O médico também confirmou o diagnóstico, com sintomas leves, em jovens de 5 a 12 anos.



Com informações Diário da Manhã


WhatsApp-icone.png