Aulas na rede estadual iniciam dia 8 de março

#PortalEstáEmTudo


As aulas na rede estadual de ensino devem iniciar em 8 de março, o que vale também para os estabelecimentos de ensino localizados nos 21 municípios que pertencem a 39ª Coordenadoria Regional de Educação, sediada em Carazinho. A coordenadora, Lisete Leiria Jarré, confirmou que as aulas em 2021 serão em formato híbrido, como já ocorreu em 2020, em função da pandemia.


“Esta modalidade veio para ficar. É uma realidade que não se afasta mais, independente de ter ou não pandemia”, declarou ela, em entrevista à Rádio Diário AM 780.


Algumas escolas ainda precisam encerrar o ano letivo de 2020 e isso ocorre nesta sexta-feira (29). Conforme a coordenadora o de 2021 será iniciado de forma escalonada. Estudantes dos anos iniciais do ensino fundamental retornam dia 8 de março, dos anos finais dia 11 e os de ensino médio dia 15 de março.


Lisete informou que em julho e agosto do ano passado, os professores da rede estadual passaram pela formação denominada Letramento Digital, para adaptação ao uso de tecnologia nas aulas, já que o Estado já adota a plataforma Google Sala de Aula para as aulas remotas. Os docentes estão recebendo agora os chamados Chrome Books, equipamentos semelhantes a notebooks, mas específicos para o ensino. Em um segundo momento os estudantes também receberão este material.


A coordenadora também garantiu a disponibilidade de professores suficientes para atender a demanda da coordenadoria, por isso foram abertas inscrições para contratação temporária, processo que deverá estar concluído até semana que vem.


Ainda segundo Lisete, no primeiro semestre de 2021 serão retomados os conteúdos de 2020, para dirimir dúvidas.


“É obvio que houve lacunas (em 2020) e para isso estamos fazendo várias ações para garantir que o aluno tenha sucesso. Iniciaremos o ano letivo com esta proposta”, assegurou.


Existe expectativa de abertura de mais turmas, especialmente de primeiros anos de ensino fundamental e médio, diante da grande procura por vagas, mas a coordenadora ainda não confirmou em que escolas isso acontecerá. Mesmo com mais alunos para atender, Lisete garantiu que nenhum aluno ficará desassistido, mas poderá ocorrer que algumas famílias não poderão ter vaga no educandário pretendido, em função de terem perdido de inscrição.


Os estudantes que não participaram das atividades em 2020 não foram reprovados. Isso porque uma normativa do Conselho Nacional de Educação desaconselhou esta prática por causa da pandemia. Por outro lado, a coordenadora informou que eles serão avaliados para que possam ser inseridos no novo ano letivo.


Fonte: Diário da Manhã

WhatsApp-icone.png